Thursday, December 09, 2004

INTESTINO BÃO

Puuurururururmmmmzzzzzzzzzuuuziiimmm...pruuuuuummm...tglof-blof glof-blof-blo-fuiiiiimmm-bló-bló-bló-bló-glofplofplofplofplofplofplofplofplofplofplof plofplofplof plof plóó óóóóóóóóóó-ruuuiiiiiiiiiiiiiiiiiiiimmmmmmmmmzzzzzzzzzzz...
Descarga... A Deca que engula... Tchau! Desapareça pelos canos, pois os meus têm mania de rejeitar, enjoar-se e brigar logo com o que comi. É muito duro ver os intestinos soltando mole. Merda mole em privada dura no que bate só se suja. Do banheiro saio despedaçado, sem a menor consistência fecal, dolorosamente assumindo o papel de cagão sem problema. Mas ninguém me disse que eu deveria cagar mole, que seria a minha missão aqui na Terra. Será? Nem gosto de imaginar os movimento peristálticos que cercam tal possibilidade. O tiro pode sair pela cu-latra (do dito cu-jo (já sujo) direto para latrina), rasgando molhado-marrom, feroz, gástrico, a melhor cueca que encontrar pela frente, seja ela de listrinhas ou não.
Será mesmo um karma? Êpa, mas "carma" aí, assim já está apelando. Antes de nascer, teria eu sido encarregado de vir como o divino mensageiro das fezes e levar a todos os homens a sublime sabedoria da mensagem das mensagens, a mensagem fecal? Essa argumentação fatalista de realmente forte poder persuasivo, eu até aceito. Mas precisava ser premiado com a frequente fragmentação fecal sem firmeza que já tosse logo de manhã, latindo sua revolta intestinal até para o vizinho? Senhor...! Senhor estômago: por favor, você que é mais equilibrado, converse com esses dois aí de baixo (grosso e delgado), diga que eles precisam trabalhar para o bem-estar geral, pensar também no coletivo. Tratar com mais carinho e educação qualquer elemento novo que chega, seja ele tomate, laranja, chocolate, abacate, couve, feijão, banana, vinho, leite, cerveja, café ou biscoitinhos de maizena, etc, etc, etc; não importando a cor, credo, raça ou orientação sexual. Chega de segregacionismos, sectarismos, goiabismos, nazismos, bananismos ou quaisquer ismos que cismam tanto com as diferenças. Paz e amor! Que role a suruba geral, não podemos mais nos submeter aos autoritarismos do sistema, do sistema digestivo tirânico e esquizóide que aborta, assassina fezes ainda pequenas, em pleno estágio embrionário. Porém Sr.Estômago, seja delicado. Passe aquela energia gracinha pra esses caras, bolas na frente e pênis erguido, porque a gente não tem ejaculação nenhuma a dever pra ninguém, fora uma brochada ou outra, é claro. Esses dois sujeitos, o grosso e o delgado, tinham que firmar o corpo e se conscientizar de que não é possível alguém só fazer merda na vida e, se for, que pelo menos tenha consistência e não se espedace a qualquer hora, em qualquer privadinha, mato ou cueca que encontrar pela frente, por mais fedidinha ou trapeada que essa última esteja.
A aventura neo-fecal (tão em moda) que se discorre, ou melhor, que escorre pelo texto, acaba em pura merda. Desfecho melhor de toda essa problemática dor de barriga, somente junto ao vaso sanitário para que se possa dejecturar na prática, diria-se aliás, apocalíptica da diarréia ao vivo. Contudo, reiterando, o desenvolvimento insustentável e explosivo da mentalidade neo-toroço deve ser contido, não pode se aproveitar da fragilidade e inocência dos intestinos mais fracos e oprimidos. Porém, resta-nos o lema de nossa luta e a esperança de um intestino melhor. Obrigado... Muito obrigado... E que os vasos sanitários dêem o veredito final!

2 comments:

Ioda said...

He, he, he! Dei boas risadas com o drama fecal!

Anonymous said...

Adriano se eu te contar o sonho que tive voce vai achar que foi porque voce disse.

E pensar que tem ou teve gente que le presságios nas fezes...


Frank