Tuesday, November 09, 2004

ABOUT CHAVEQUISM (INTRODUÇÃO)

A Chavecal Sciencie ou Chavecologia (tradução do original em português) emerge nesse final de século, caracterizando a era da ciências cosmopolitas. Mas, seu histórico e suas bases filosóficas já vem à longa data contribuindo para a sua formação.
Existe uma série de estudos antropo-paleontológicos que buscam precisar mais pontualmente onde estaria o elo que desvenda a cadeia filogenética do chaveco - objeto primário de estudo da Chavecal Science. Através de estudos da Universidade do Lesoto, pesquisadores bosquímanos estão chegando à conclusão de que o chaveco (chave (latim) = chave, co (grego) = conquista, significando, então, chave para a conquista) é algo muito frequente também entre animais. Sendo muito caracterizado por comportamentos de aproximação (cheirar ânus) e exibição (brigar, defecar em frente à fêmea, comer esterco, etc ). Através de todos esses estudos, vamos evolutivamente chegando ao ser humano.
O troglodita, no seu ato de agredir a fêmea com porretadas na cabeça ou de manipular o pênis em frente ao fogo na hora do jantar, se utilizava desses comportamentos como eficientes chavecos. Mas, o ser humano foi evoluindo e hoje esse fenômeno já é estudado com grande profundidade em todas as suas dimensões.
Platão já o estudava, caracterizando-o como algo inato. Sócrates, antes de ir para a seleção, dedicou grande parte de sua obra a esse tema, mas como na época ainda não existia imprensa, a publicação não ocorreu, havendo somente relatos de que, mesmos assim, saiu em manuscrito pela gazeta de Atenas, mais especificamente no Caderno de Esportes. Esses e outros pensadores antigos marcam o início do movimento chavequista.
O Chavequismo (movimento filosófico) vai estender-se e dar origem à Chavecologia ou Chavecal Science, como é conhecida no ramo científico internacional. Podemos considerá-la como uma ciência que tem se popularizado bastante, caracterizando a Era Cosmopolita, acima de tudo, como uma era chavecologizante.

OS TIPOS CHAVECOLÓGICOS

* Os Chavequeiros - são os tipinhos que se utilizam dos chavecos mais primitivos, diretos e grosseiros. Geralmente possuem as mãos calejadas, falam alto, são devotos de São Punheto e, quando crianças curtiam "troca-troca" ou campeonato de "esporradinha" (ejaculação à distância). Há milênios atrás fariam mais sucesso, concorrendo com os trogloditas.
* Os Chavequistas - esses são os pensadores que começaram a refletir à respeito do chaveco. Na sua maior parte são apenas teóricos, mas têm-se exceções como o próprio Sócrates, que apesar de ser médico e técnico em prótese dentária, nunca deixou de tomar suas pinguinhas e cair na farra, aplicando todos os seus constructos teóricos. O Biro-Biro, com aquela cabelereira loura (aliás, ele anda meio ofendido com aquela música, Loura- Burrra) também atraía muitas mulheres para a área, não deixando assim de fazer os seus golzinhos, apesar de ser volante. Como já foi mencionado, na sua parte são apenas teóricos. Geralmente são pessoas tímidas, que já refletiram muito à respeito do chaveco, até mesmo em cartas de amor que elaboravam para seus amigos conquistarem a mulher do outro.
* Os Chavecologistas - são os mais interessados nos estudos anatômicos e histológicos. Esses, sem dúvida, brincaram muito de médico quando criança. Os que tiveram um desenvolvimento menos estruturado, brincam até hoje, se auto-denominando de médicos ginecologistas. Os que tiveram um desenvolvimento de personalidade mais estruturado tornaram-se grandes pesquisadores, podendo dar início à regulamentação da profissão de Chavecologista, não só no Brasil, mas à nível internacional. Esses pesquisadores utilizam-se de muitos paradigmas, até mesmo da Física. Mas enquanto os físicos ainda buscam encontrar o Buraco Negro, os Chavecologistas já encontraram-no, e estão na busca de algo ainda mais profundo: o Ponto G. Então, vê-se que o físico, assim como o ginecologista, também pode ser um chavecologista recalcado, e que a questão chavecológica desafia as leis da Física, caracterizando-se, portanto, como uma questão META-física.
* Os chavecólogos - esses fizeram a graduação em Chavecologia, a qual oferece diversas áreas de especialização e residência. Essa é a área mais abrangente que concentra o maior número de profissionais e atividades. O Chavecólogo se caracteriza como aquela pessoa que sempre se interessou pelo fenômeno, tanto no seu aspecto teórico como na prática aplicada ou clínica (terapêutica). Esses, desde pequenos, já faziam perguntas indecorosas. Sempre se caracterizaram pela curiosidade e senso de observação, tanto que o bom Chavecólogo tem os olhos grandes e esbugalhados.
Esses são os tipos mais comuns, e somente foram introduzidos. Nos próximos capítulos, todos os assuntos aqui abordados e outros serão aprofundados.

FRANK JAWA, Sri-Lanka, 1991; copyright 1991.

No comments: