Wednesday, April 13, 2011

Sobre a tolerância e a liberdade de expressão



‎"Ser tolerante significa que você tem que tolerar a intolerância, tendo que tolerar pessoas que não tem tolerância para com você"  -  Pat Condell




"O critério não é moral, aqui, mas político. O que deve determinar a tolerabilidade de determinado indivíduo, grupo ou comportamento não é a tolerância de que eles dão mostra (porque então todos os grupos extremistas de nossa juventude deveriam ter sido proibidos, o que só lhes daria razão), mas sua periculosidade efetiva: uma ação intolerante, um grupo intolerante, etc., devem ser proibidos se, e somente se, ameaçarem efetivamente a liberdade ou, em geral, as condições de possibilidade da tolerância.
Numa República forte e estável, uma manifestação contra a democracia, contra a tolerância ou contra a liberdade não basta para colocá-las em perigo; portanto, não há motivo para proibi-las, e seria uma falta de tolerância querê-lo. Mas, se as instituições estão fragilizadas, se a guerra civil está iminente ou já começou, se grupos facciosos ameaçam tomar o poder, a mesma manifestação pode se tornar um perigo verdadeiro; então pode ser necessário proibi-la, impedi-la, até pela força, e seria falta de firmeza ou de prudência renunciar a essa possibilidade." 
(Comte-sponville, A tolerância, Em: O pequeno tratado das grandes virtudes, Ed. Martins Fontes, p. 177- 178, 2000)

3 comments:

Anonymous said...

Ser tolerante até o inicio de uma guerra?
Devemos chegar até os limites da atrocidade que é uma guerra?

A guerra deve ser evitada.

A sociedade, bem ou mal, caminha, com seus ajustes.

Ioda said...

E você, a quem escolhe, Paulo Ghiraldelli ou Pat Condell? Me parece que Condell justifica o direito de ser idiota de Rosenfeld.

ADRIANO FACIOLI said...

é, questao dificil... dificil de escolher, viu...