Saturday, June 06, 2009

“Homossexualidade é opção?”

Esta é uma pergunta muito comum, do senso comum (por isso a coloquei entre aspas), emrelação à homossexualidade. Em muitos casos, infelizmente, há pessoas que chegam a afirmarisso de modo categórico.

A homossexualidade é um fetiche da curiosidade de nossa sociedade que praticamente criminaliza esse tipo de orientação. E se a homossexualidade é fetichizada, a homossexualidade masculina o é ao quadrado. E ao verbo “fetichizar” atribuo o sentido de darum valor excessivo ao que quer que seja. Se fetichiza é porque ressalta demais, valoriza demais. É atenção, curiosidade e xeretice demais em relação ao tema.

As pessoas querem logo a resposta, querem logo saber a causacomo se tudo necessariamente pudesse ser explicado ou determinado por uma única causa. Se nasce assim ou se aprendeu; se é uma condição ou uma escolha.

Mas Freud logo adverte: se a homossexualidade é representada como um mistério, issotambém deveria caber à heterossexualidade. Para ele há de se perguntar pela gênese tanto de uma quanto de outra. Pois para a psicanálise todos nascemos, vamos assim dizer, “bissexuais”. A orientação originária é a bissexualidade. A monossexualidade, seja ela hetero ou homo, com o decorrer do desenvolvimento. Neste sentido, psicanalítico, nascemos bissexuais e aprendemos a ser hetero ou homo. se dá

E o termo aprendizagem, para o senso comum, também adquire alguns sentidos que não os adotados pela Psicologia. Basta dizer que é aprendido, para alguém logo pensarque deve haver alguém, alguma pessoa que ensina. Para não me estendermuito sobre isso, resumo: aprendemos o tempo todo, e o mundo (incluído o mundo das coisas) equivocadamente ensina.

Mas ouço muito, da boca de muitas pessoas, inclusive e infelizmente, penso eu, de algunsalunos: “homossexualidade é opção”. ouvi até mesmo gays dizendo isso. Penso da seguinteforma: é uma frase muito genérica e vaga para uma questão tão complexa. É tão vaga queadquirir diversos sentidos. pode

Uma vez vi na televisão um gay dizendo isso: “é uma opção, sabe”. Ele se sentia como umpaladino da liberdade ao dizer isso. Dizia com gosto, com orgulho que era uma escolha, uma opção.

também, e com muito mais freqüência, pessoas conservadoras e machistas que dizem isso. E o sentido subjacente costuma ser: “se escolheu isso, poderia ter escolhido o contrário; sofre preconceito porque quer; seja homem!”. Ou então: sendo opção, logo é safadeza, moda oufalta do que fazer.

E a grande questão é: então o homossexual escolhe isso, ser uma espécie de pária da sociedade? Alguém escolhe isso para sua vida: ser discriminado, diminuído, excluído, maltratado e humilhado? Sim, pois é exatamente assim que os homossexuais são tratados. Se a homossexualidade é uma opção, então completemos a frase: é opção e masoquismo. Poissomente alguém que tem prazer em sofrer é que poderia escolher esta opção.

E mesmos os masoquistas, fique bem claro, nunca o são de modo genérico. Não existe esta história de simplesmente gostar de sofrer. Ninguém é masoquista pra tudo. Pois o masoquismo, em termos comportamentais, muitas vezes nada mais é que efeito da associaçãoentre dois estímulos: um prazeroso e outro doloroso. Masoquistas costumam ter prazer comcoisas muito específicas, as quais são exatamente aquelas que foram associadas com alguma forma de prazer muito significativa vivenciada.

Se a orientação sexual é uma opção, logo as possibilidades são as mesmas para todo mundo. Logo, somos todos, como pretendia Freud, originariamente bissexuais. Eis o paradoxo do senso comum: enuncia uma regra que, por implicação lógica, estabelece a bissexualidade como universal, coisa que o próprio senso comum rejeita.

Se a orientação sexual é uma opção, logo existe escolha consciente. E pode se dizer que se trata de algo mais ou menos parecido com, por exemplo, o ato de votar: você vai e marcaum x. Portanto, chegam a ser ridículas as implicações lógicas que tal bobagem produz.

Porém, continuemos, até o absurdo. Sim, pois todo equívoco desemboca no absurdo.

Primeiro as definições:

1. Homossexualidade é a predominância de atração sexual por pessoas do mesmo sexo.

2. Heterossexualidade é a predominância de atração sexual por pessoas do sexo oposto.

3. Bissexualidade é a atração sexual por pessoas de ambos os sexos, sem a predominânciasignificativa de qualquer orientação.

Se a orientação sexual é uma opção, logo as pessoas escolhem gostar disso ou daquilo, quererisso ou aquilo. E quem é que tem esse poder: escolher do que vai ou não gostar, querer?

Se a orientação sexual é opção, logoconflito entre alternativas. Senão não haveria opção alguma. Enfim, resumindo: mais uma peça para a coleção gigantesca de besteiras do senso comum.

7 comments:

sagazz said...

Bacana o texto, mais ainda falta explicações;
afirmo ainda, deixa um viado desses ai, morar com homens de verdade, todo dia, desmunhecando tomava uma surra, q eu queria ver ele continuar nessa, pior é aceitar uma parada gay dar 3 milhões de pessoas, daqui uns dias ser homem vai ser a minoria, mais pensa assim qt mais gay mais gatinhas e olha que tem cada uma...

Binho said...

Olá adriano, fico sem palavras, e concordo com voce dizendo que as vezes muitas muitas pessoas gostam de usar especulações para querer explicar algo de uma forma tão simples, mas tambem me coloco quando digo que são algumas pessoas que as vezes não usam as palavras de forma correta, ou fazem uma má interpretação sobre determinados assuntos abordados, mas enfim, fico de acordo com o assunto que colocou na integra, e te digo como uma pessoa que entende muito bem do assunto...

Dizer que a homossexualidade é uma opção seria dizer, e reforçando o que voce diz, algo que voce tem uma escolha consciente, e te digo não como leigo, porque vivo na pele sobre esse assunto e garanto que isso não e uma "mera opção" mas algo que vai mais além do conhecimento de cultura, sociedade que temos atualmente.

ADRIANO FACIOLI said...

que bom vc ter comentado, binho. senao teriamos somente o homofobo aí de cima dando opiniao...

Anonymous said...

Muito bom o texto.
Mas não acredito que seja opção pelo fato de observar atitudes de algumas crianças que já nascem com uma grande tendência afeminada, mostrando desde de cedo seu lado sexual.
Mas acredito,tambem, que existem pessoas que realmente querem descobrir novas formas de prazer e por essa razão entram no mundo dos homossexuais(homoafetivo),e lésbicas. Essas pessoas que se envolvem em homossexualismo podem sim, sair quando bem entender, mas quem já nasceu para ser homoafetivo ou lésbica, dificilmente deixará de ser.
A natureza os fez assim,muitos que nascem com essas tendencias homossexuais não são influenciados pelo meio social.
Alguns não tem opção de escolha. Simplesmente são homoafetivos.
Infelizmente quem sofre mais são aqueles que não pertencem às altas camdas sociais, pois encontram dificuldades de inserção no mercado de trabalho, por força do preconceito. Os ricos não dependem dessa situação.

Binho said...

È Adriano concerteza essa situação de homofobia tem que ser discutida não só no ambito juridico mas tambem em todo o tipo de area, porque esse é um tipo de assunto que move as pessoas de todos os campos do conhecimento, porque esse é um assunto que não se esgota
e é bom descutir

Porque infelizmente até hoje somos obrigados a tolerar formas de manifestações preconceituosas - como ao comentario do Sagazz, por exemplo - as vezes de cunho etico, moral, religioso por apenas amar alguem do mesmo sexo, e isso para alguns homossexuais, é uma barreira que estamos buscando quebrar, a ter que viver com um tipo de preconceito sutil, extravagante vindo das pessoas, mas é claro, sem relevar também o tipo de preconceito vindo de nós homossexuais uns contra aos outros

Eu pessoalmente ressalto, e digo que gostei muito do assunto que voce colocou em discussão, gosto de discutir assuntos que costumam provocar opiniões diversas, que mexe com a opinião publica, e pelo lado pessoal também porque isso me motiva estudar mais sobre o assunto e me enriquecer como pessoa, espero que possa haver assuntos como esse que voce publicou que concerteza estarei lá pondo minha opinião, te parabenizo por colocar esse assunto em evidencia no seu Blog!!!!

Sidio Júnior said...

Adriano, o assunto é instigante e vejo seriedade no texto. Parabéns!
A perspectiva lógica linear é incapaz de perceber os diversos fatores que influenciam o homem. Esse é o maior problema da análise do Sagazz.
Entendo que até mesmo a posição adotado no seu texto precisa ser colocada em discussão porque verifico, no exemplo que você citou, que muitas causa podem ter o homossexual a buscar a demonstração de que era livre por meio da homossexualidade.
Estou convencido que o causalismo precisa ser melhor analisado porque nada decorre de uma única causa. Desse modo, peço vênia para dizer que o homossexualismo não pode ser resultado unicamente da natureza bissexual do homem, de uma patologia física, de uma doença moral, de uma perspectiva superior do homem livre, da opção etc.

Andressa said...

E quem é que tem esse poder: escolher do que vai ou não gostar, querer?
Nós, seres pensantes.