Sunday, September 05, 2010

Com Deus não se brinca?



Em uma sociedade “temente” a Deus como a nossa, poucos ousam fazer tal pergunta. Nesse contexto, para a maioria, a resposta já vem pronta: “óbvio que não”. E é muito interessante prosseguir com o questionamento. Por que não? Por que não posso brincar com Deus? Por que não posso fazer piadas com o nome de Deus?

Uns dirão: “porque é sagrado”. E tudo o que é sagrado não pode ser tocado, violado, explorado ou investigado. Deve permanecer em total mistério, livre de perguntas ou curiosidade racional. Outros dirão: “porque trata-se de ter respeito”. E respeitar é não questionar? Não imaginar? Não brincar? Não suspender um pouco a realidade e testar os limites da forma mais segura possível: brincando?
Sim, porque o brincar está presente inclusive entre os animais não humanos. Até pássaros brincam. Trata-se de lutar sem estar lutando de verdade, de matar sem estar matando de verdade; de morrer sem estar morrendo de verdade. O brincar é instintivo e tem uma função biológica muitíssimo importante: conhecer sem se expor diretamente aos perigos da realidade. É uma forma de investigação, de exploração do mundo e de suas possibilidades. Brincando, testamos e ensaiamos para a realidade. Brincando, conhecemos mais, testamos mais.
Mas, voltemos à Deus. Ele não é perfeito? E o que é o perfeito? É aquilo a que nada falta. Nada falta à Deus. Então também não lhe falta bom humor, esportiva. Se Deus é perfeito, também tem bom humor, também sabe levar na brincadeira. Também sabe distinguir brincadeira de realidade. Ora, então por que não brincar com Deus?
A expressão “não brinque com” pode também remeter inconscientemente a “não brinque com fogo” ou qualquer coisa similar. Ou seja, se algumas pessoas pensam que não se pode brincar com Deus, isso deve-se às possíveis conseqüências aversivas da brincadeira. “Não brinque com Deus, pois você pode se dar mal”. Como assim? Ele pode castigar? E as pessoas que temem tanto assim a Deus, sem o sabê-lo, costumam ser as mesmas que vivem a dizer que Deus não castiga. Se não castiga, por que o temem tanto?
Penso que há alguns motivos básicos para não se brincar com alguma coisa ou alguém:
1. Essa coisa ou alguém podem ferir você. São poderosos e perigosos. São fortes, explosivos, impulsivos, vingativos. “Não brinque com fogo, pois você pode se queimar, se machucar seriamente”. Aplicando esse argumento a Deus: não brinque com ele, ele pode lhe ferir, lhe castigar”. E por que Deus iria ferir alguém que brincasse com ele? Seria revide, troco? Deus também revida? Também se defende e se vinga? É isso?
2. Essa coisa ou alguém pode ser ferido por você. Ou seja, não devemos brincar com o que é muito frágil e pode se quebrar. Então fica assim: “Não brinque com Deus, pois você pode machucá-lo”. E Deus é assim tão frágil?
3. Essa coisa ou alguém é completamente desconhecida. Trata-se do “não brinque (ou não converse) com estranhos”. Se você se julga, como muitos, íntimo de Deus, não há motivo para não brincar. O argumento é mais ou menos assim: “se brinco com meus amigos, pais, irmãos, com todos que me são íntimos, por que eu não brincaria com Deus? Se não brinco, é por que ele me é totalmente estranho?”.
4. Essa coisa ou alguém carece do mínimo inteligência. É incapaz de diferenciar brincadeira de realidade. Deus do céu, até os animais percebem essa diferença. Quando você corre atrás de seu cachorro ou rola com ele no chão, brincando, ele, mesmo sendo irracional, percebe que não se trata de um combate verdadeiro. Tanto que não lhe morde pra valer. E por que Deus não teria uma inteligência tão grande quanto a do seu cachorro de estimação? Fique tranquilo, pois ele com certeza sabe que é somente brincadeira.
Concluindo. Com Deus não se brinca? Se você não acredita nele e vive em uma sociedade livre e democrática, você pode, entre os seus, brincar tranquilamente. O estado não o executará em praça pública por isso. E nenhum conhecido ficará ressentido com isso, pois estará “entre os seus”, como sublinhei. Contudo, estando entre crentes (aqueles que acreditam em Deus), pode ser que você seja hostilizado, pois religião é um assunto deveras inflamado, uma ferida que já custou muitas e muitas guerras e milhões de mortos na face da Terra. Portanto, não custa ter cuidado.
Por outro lado, se você acredita que Deus castiga, que pode magoá-lo com alguma brincadeira, se não se julga íntimo dele, se acha que ele não é perfeito (pois lhe falta esportiva), ou que não entenderá a piada, é melhor mesmo não brincar com o todo poderoso.


9 comments:

Anonymous said...

....

então, tá faltando a brincadeira. vejo que deus gosta sim. deus não é formal como os rituais. aliás, não é forma, não tem forma

se não tem forma, então não importa a forma. uma oração não precisa vir "na fôrma".

sendo assim, não tendo forma, também não é partidário. deus apenas é justo. deus não tem time... deus gosta somente do futebol.

tá faltando mesmo intimidade. geralmente, só nos damos a brincadeiras com os íntimos. taí: "não brinque com deus !!!!" pronto, chamaram deus de estranho.

deus curte pular "amarelinha"... aliás, a vida lembra um jogo de amarelinha: começa no inferno, termina no céu....

xoomei@uol.com.br

Anonymous said...

errata (1o paragrafo)

então, tá faltando a brincadeira. vejo que deus gosta sim. deus não é formal como os rituais. aliás, não é FORMAL, não tem forma

Anonymous said...

errata (1o paragrafo)

então, tá faltando a brincadeira. vejo que deus gosta sim. deus não é formal como os rituais. aliás, não é forma, não tem forma

Silmar Franco said...

De quem mesmo você está falando???
Ah tá já ouvi falar...mas nunca vi!!!
Papo da galera, foi um boato que soltaram e se alastrou...rsrsrs
Putz, desculpe, não queria lhe ofender, tava só BRINCANDO.

Um sorriso que dê forma,
Se destrói...
Na risada que deforma!

Marcos Siqueira said...

Realmente quanto mais íntimo mais liberdade para brincar e testar os limites do amigo.

O problema é que a religião, muitas vezes distante de Deus, não tem senso de humor. Para se proteger deve manter o mistério e severidade, pois se o devoto souber que Deus lhe é acessível pessoalmente, a religião perde seu sentido.

Só espero que se Ele, o Todo-Poderoso, quando brincar comigo, pegue leve.. EU SOU FRÁGIL!!! hehehehe

Anonymous said...

A quanto tempo não passo por aqui...
muita coisa pra ler.

Saudades.

Patricia.

Ronaud said...

Perfeito o seu texto. Compartilho integralmente dessa sua visão de Deus. Seja lá o que for Deus, é inteligente. Mas sinto um profundo desgosto quando vejo as pessoas tomando Deus como um ser tão limitado quanto elas.

Mas foi muito bom encontrar esse seu texto e encontrar alguém que parece ter tirado os pensamentos do meu cérebro e diposto eles de tal forma a resultar nesse texto rsss

O Marcos Siqueira aqui nos comentários também resumiu bem o porquê não se brinca com Deus, no segundo parágrafo.

Também já tentei escrever sobre esse enfoque aqui: http://www.ronaud.com/bom-senso/o-deus-cristao/

Um abraço!!!

fernanda barreto said...

o meu deus é um brincalhão e jamais tive medo dele ;)

Anonymous said...

Oi pessoal, conheci o blog hj e achei super legal, esta de parabens...
resolvi participar e deixar meu comentario!
Acho que foi muito bem colocado o assunto, principalmente no ponto em que é mencionado que se Deus é perfeito ele quem criou um "passarinho que brinca", obvio que permitiria brincar com Ele!
Esse papo de "nao brinque com Deus" soa como quando nossos pais falavam q temos q ser bonzinhos para o bicho papão não nos assustar!
Enfim acho que todo e qualquer comentario sobre Deus ou qualquer outro ser divino que seja e que envolva essa contradição e essa ilógica não deve ser levado em consideração como uma referencia de quem Ele realmente é, por que se Deus realmente existe tenho certeza que ele nao cabe na nossa mente limitada, que faz esse tipo de comentario sobre Ele, la do alto acho que ele descordaria, mas isso tb é só meu achismo por que estou dentro desse grupo de limitados, temos que saber separar os comentarios de pessoas humanas e limitadas, muitas vezes ignorantes (não por escolha claro) e que as vezes não tem noção da grosseria que é descrever Deus dessa forma, e com toda essa contradição da perfeição do criador do Universo!


danyela_veronica@hotmail.com